quinta-feira, 12 de julho de 2018

Um atelier numa terra de ninguém

Daria o caso para realizar um atelier de pintura em Garvão, uma vila situada aqui próximo, mas na realidade muito longe de muita coisa, nomeadamente das artes e das ideias. As pessoas têm alguma distância e nem sempre são uma simpatia, mas assim longe de muita coisa que nos traz para a qualidade de vida como esperar demais. O reconhecimento é pouco, e muitas vezes penso se valerá a pena, pois ao longo de cerca de dois anos depois de começar o grupo mudou muito, e agora tem pessoas mais simples e melhores pessoas, mais humildes e querendo aprender. Recordo grupo anterior no mesmo local em que quase me ofenderam, ignoravam, e qualquer indicação era mal vista, pois as pessoas tinham-se em grande conta apenas porque se via serem gente com "teres e haveres". Nós gostamos de apoiar, de trazer alguma coisas de nós, mas nem sempre a nossa dádiva é bem recebida. Chegar a dizer que eu recebia dinheiro da Junta da Freguesia e portanto... eu que tudo levo, gasto da minha gasolina, dou do meu tempo sem pedir nada em troca. Enfim a vida no campo nem sempre é tão idilica assim. É que no campo para além de passarinhos a chilrear também há passarões... Na foto alguns trabalhos realizados !

1 comentário: